Lesson Study: entenda o que é e como utilizar essa metodologia

Lesson Study: entenda o que é e como utilizar essa metodologia

|

18 de dezembro de 2023

|

Tempo de leitura: 23 minutos

No Brasil, a metodologia já vem sido discutida por pesquisadores como a Profa. Dra. Yuriko Balsin há 10 anos mas, recentemente, vem ganhando mais espaço nas escolas, o que pode ser um avanço importante para as salas de aula. Neste artigo, vamos contar melhor como a Lesson Study funciona e como pode ser aplicado no seu planejamento de aula. Confira!

O que caracteriza a Lesson Study?

O principal diferencial da metodologia é entender que tanto os alunos quanto os professores precisam se desenvolver constantemente. Perceber como o estudante aprende, absorve o conteúdo e o aplica é essencial para que o plano de aula seja eficiente e para que o próprio aluno fique engajado durante a aula.

A metodologia foi criada por ser entendida a necessidade de mudar o paradigma do ensino em que só o aluno aprende já que tanto o aluno quanto o professor precisam se desenvolver constantemente. A linguagem e a forma de absorção de conhecimento por parte dos estudantes vêm mudando a todo momento. Os professores e a forma de ensino precisa acompanhar essa evolução para que tenham uma participação ativa na formação do aluno.

A Lesson Study possibilita, a partir de uma reflexão coletiva, o aprimoramento dos professores e o desenvolvimento acadêmico dos alunos.

Quais os benefícios da Lesson Study?

A metodologia japonesa foca no fato de que o corpo docente deve estar em constante transformação e aprimoramento. Os professores precisam conseguir acompanhar a mudança no perfil dos alunos, nas tecnologias disponíveis e nas formas de ensino presentes.

A Lesson Study permite que os professores possam, juntos, compreender os pontos possíveis de melhoria nos planos de aula, discutir sobre os métodos de ensino e as experiências que passam diariamente nas salas de aula.

Como aplicar a Lesson Study na escola?

Assim como qualquer metodologia, existe uma série de passos que precisam ser seguidos e avaliados para atingir um bom resultado. Como já citamos, a Lesson Study funciona por meio de encontros entre os professores que façam parte do grupo e é trabalhado com a participação de todos. Veja as etapas principais para a aplicação!

Definir o problema

O objetivo da metodologia é a solução e otimização dos processos de ensino na sala de aula. Sendo assim, é preciso ter claro qual problema será trabalhado durante os testes.

O problema é definido e acordado pelo grupo de professores que participarão do processo a partir dessa etapa, o objetivo deve ser delimitado de forma concisa.

Planejar a aula

Após a definição do problema, os professores participantes podem pesquisar em livros e artigos sobre a área relacionada ou de especialistas que já passaram por um problema similar para enriquecer a discussão.

A aula é pensada e planejada em conjunto com o grupo. Ela deve ser desenvolvida com a ideia de entender como o aluno absorve o conhecimento e qual a melhor forma de repassá-lo.

Ministrar a aula

Com o planejamento da aula criado é o momento de observar como ela funciona perante os estudantes. Para isso, um professor participante do grupo é selecionado para ministrar a aula a estudantes selecionados com a observação dos outros professores também participantes.

É importante que os observadores façam anotações dos pontos positivos, dos pontos a serem desenvolvidos e percebam o comportamento dos estudantes e também do professor durante a lição.

Analisar a aula

O plano de aula só pode ser melhorado se ele for testado, analisado e revisado. Por isso, após a realização da aula-teste os professores se encontram o quanto antes para partilhar suas anotações e discutir sobre os aprendizados. O professor que ministrou a aula inicia a discussão levantando a sua própria opinião sobre a lição, os desafios, os pontos positivos e negativos. Após sua fala, a discussão é aberta para os outros professores.

É possível fazer perguntas aos alunos que assistiram a lição para entender a visão deles sobre o aprendizado e o que foi absorvido durante a aula.

Algumas questões interessantes para essa discussão são:

  • As hipóteses levantadas durante a definição do problema foram comprovadas?
  • A estratégia de ensino selecionada foi eficaz para o perfil dos alunos daquela escola em questão?
  • O que poderia ser melhorado naquele plano de aula em questão?

Ao final da reunião os professores devem fazer um compilado dos aprendizados para que o mesmo plano de aula seja revisado e otimizado.

Revisar o planejamento da aula

A partir das discussões e anotações realizadas durante a reunião de análise, os mesmos professores fazem a alteração do mesmo plano de aula já utilizado na primeira aula ministrada, para que ele seja aprimorado de acordo com os pontos principais apontados para o melhor aprendizado dos alunos.

O entendimento do perfil e da visão dos alunos que frequentam a escola são essenciais para que a aula seja criada da melhor forma, os estudantes consigam absorver o conhecimento e os professores, se desenvolver.

Ministrar a aula atualizada

Não necessariamente o mesmo professor precisa ministrar a aula ou os mesmos alunos necessitam participar. A questão principal é que os mesmos professores do grupo façam a observação e as anotações da aula ministrada.

O processo que havia sido realizado no passo 3 (ministrar a aula), mas acrescentando a visão da aula anterior e buscando entender se os pontos levantados foram de fato melhorados.

Reanalisar a aula

Na reanálise da aula ministrada é preciso entender alguns fatores como:

  • Ainda existem pontos de melhoria?
  • A opinião dos alunos participantes foi positiva?
  • As hipóteses foram confirmadas?

A forma de conduzir essa reunião segue da mesma forma que a apresentada na etapa de análise da aula porém, é possível convidar outros docentes que não foram responsáveis pela construção do plano de aula para participar da discussão.

Compartilhar os resultados

Dentro de uma mesma escola ou de escolas próximas, é possível que outros docentes estejam passando por problemas similares. Dessa forma, o grupo que participou de todo o processo pode fazer uma apresentação ou relatório com um compilado da metodologia realizada e dos aprendizados adquiridos.

Como o processo deve ser contínuo e outras reuniões da Lesson Study ainda precisam acontecer, os relatórios podem ajudar nas próximas.

Quais os cuidados a serem tomados na aplicação?

A escola e os professores interessados precisam estudar bastante a metodologia para que ela seja aplicada de forma leve e gradual na rotina dos professores. Além de ser uma forma de envolvimento dos alunos, ela também serve como engajamento e desenvolvimento do corpo docente.

Agora que você conhece melhor a Lesson Study está preparado para iniciar o processo dentro da escola? Qual a sua opinião sobre a metodologia? Compartilhe, por meio dos comentários, suas dúvidas e considerações!

Mais artigos

19 de dezembro de 2023
Seno, Cosseno, Tangente e Gráficos

Explorando as funções seno, cosseno e tangente e gráficos com a calculadora científica ClassWiz Você sabia que a…

Tempo de leitura: 8 min
19 de dezembro de 2023
Seno, Cosseno e Tangente

Explorando seno, cosseno e tangente com a calculadora científica Professor(a), como é para você trabalhar com as relações…

Tempo de leitura: 14 min
19 de dezembro de 2023
Adição e Subtração de funções

Nos materiais postados a respeito de funções, foram apresentadas dicas a respeito de como criar tabela de valores…

Tempo de leitura: 5 min

Newsletter

Mantenha-se atualizado com as últimas notícias e obtenha treinamentos e recursos da Divisão Educativa da Casio!

"Porque a BNCC não te diz como fazer. A BNCC diz que é importante que se use [calculadoras]. É importante que se leve para sala de aula as tecnologias, a calculadora ou uma planilha. Mas o como fazer, isso ela [a BNCC] não faz. O como fazer é o que a gente faz na Casio. "

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Ana Cláudia Cossini Martins

Professora Especialista em Currículo (Física)
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

"Ele [o estudante] precisa ter todo um conhecimento matemático para que ele possa inserir os comandos na calculadora. A medida que a gente vai trabalhando com esses comandos matemáticos, ele vai desenvolvendo o seu raciocínio lógico-matemático ."

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Maria Regina Duarte Lima

Professora Especialista em Currículo (Matemática)
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

"Eu fico ansiosa esperando cada formação, porque eu saio renovada e aprendendo mais a cada formação. Porque nós educadores somos eternos estudantes."

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Paula Roberta Pereira da Silva

Professora Componente Física
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo