Calculadoras nas aulas de Matemática: reflexões sobre a utilização 

Calculadoras nas aulas de Matemática: reflexões sobre a utilização 

Suellen Moura de Paiva

|

19 de dezembro de 2023

|

Tempo de leitura: 27 minutos

A matemática é uma disciplina fundamental na educação básica e superior. Ela não só desenvolve habilidades de raciocínio lógico como também é essencial para diversas áreas do conhecimento e profissões. Com o avanço da tecnologia, os recursos didáticos utilizados nas aulas de matemática evoluíram significativamente, e a calculadora tornou-se um desses recursos indispensáveis. Mas como sua utilização impacta o aprendizado dos alunos? Vamos explorar essa questão ao longo deste artigo.

Guia de acesso rápido:

  1. História da calculadora no ensino
  2. Tipos de calculadoras utilizadas nas escolas
  3. Vantagens da utilização de calculadoras nas aulas
  4. Desvantagens e desafios
  5. Abordagens pedagógicas para o uso de calculadoras
  6. Exemplos práticos de uso de calculadoras nas aulas
  7. Impacto das calculadoras no desempenho dos alunos
  8. Formação de professores para o uso de calculadoras
  9. Ferramentas complementares às calculadoras
  10. Opiniões de especialistas
  11. Experiências de alunos
  12. Futuro das calculadoras no ensino
  13. Perguntas frequentes(FAQs)

História da calculadora no ensino

As primeiras calculadoras utilizadas no ensino eram mecânicas, com funcionamento baseado em engrenagens e manivelas. Com o tempo, essas máquinas foram substituídas pelas calculadoras eletrônicas, que se tornaram populares nas escolas a partir da década de 1970. Esse avanço tecnológico transformou a forma como os cálculos são realizados nas aulas de matemática.

Tipos de calculadoras utilizadas nas escolas

  • Calculadoras básicas: As calculadoras básicas são geralmente as primeiras a serem introduzidas aos alunos. Elas realizam operações simples como adição, subtração, multiplicação e divisão.
  • Calculadoras científicas: As calculadoras científicas são mais avançadas e permitem a realização de cálculos complexos, incluindo funções trigonométricas, logaritmos e exponenciais. Elas são amplamente utilizadas no ensino médio e superior.
  • Calculadoras gráficas: As calculadoras gráficas possuem a capacidade de representar funções e equações graficamente, sendo ferramentas poderosas para o ensino de álgebra e cálculo.

Vantagens da utilização de calculadoras nas aulas

  • Economia de tempo: O uso de calculadoras permite que os alunos realizem cálculos complexos de forma rápida, economizando tempo para focar na compreensão de conceitos matemáticos mais profundos.
  • Precisão nos cálculos: As calculadoras garantem a precisão dos resultados, minimizando erros humanos e permitindo uma maior confiança nas respostas obtidas.
  • Foco no raciocínio lógico: Com a ajuda das calculadoras, os alunos podem se concentrar no desenvolvimento do raciocínio lógico e na resolução de problemas, ao invés de gastar tempo com cálculos tediosos.

Desvantagens e desafios

  • Dependência excessiva: Um dos principais desafios é evitar que os alunos se tornem excessivamente dependentes das calculadoras, negligenciando a habilidade de realizar cálculos mentais e manuais.
  • Redução da prática de cálculos manuais: O uso frequente de calculadoras pode levar à diminuição da prática de cálculos manuais, que são importantes para o desenvolvimento das habilidades matemáticas básicas.
  • Desigualdade de acesso: Nem todos os alunos têm acesso a calculadoras de qualidade, o que pode criar disparidades no aprendizado e no desempenho acadêmico.

Abordagens pedagógicas para o uso de calculadoras

  • Integração gradual: Os professores devem introduzir as calculadoras de forma gradual, equilibrando o uso de métodos tradicionais e tecnológicos para garantir um aprendizado completo.
  • Equilíbrio entre cálculos manuais e digitais: É importante que os alunos continuem praticando cálculos manuais, mesmo quando utilizam calculadoras, para desenvolver e manter suas habilidades básicas.

Exemplos práticos de uso de calculadoras nas aulas

  • Resolução de problemas complexos: As calculadoras são especialmente úteis para resolver problemas complexos que envolvem várias etapas de cálculo, permitindo que os alunos se concentrem na estratégia e na lógica do problema.
  • Verificação de resultados: Os alunos podem usar as calculadoras para verificar a precisão dos cálculos manuais, o que pode aumentar sua confiança e entendimento dos conceitos matemáticos.

Impacto das calculadoras no desempenho dos alunos

  • Estudos e pesquisas: Diversos estudos têm investigado o impacto das calculadoras no desempenho acadêmico dos alunos, com resultados que variam de acordo com o contexto e a metodologia de ensino.
  • Resultados positivos e negativos: Algumas pesquisas indicam que o uso de calculadoras pode melhorar o desempenho em testes e avaliações, enquanto outras sugerem que pode haver uma redução na habilidade de realizar cálculos mentais.

Formação de professores para o uso de calculadoras

  • Necessidade de treinamento específico: Os professores precisam de treinamento específico para utilizar as calculadoras de forma eficaz nas aulas, maximizando seus benefícios e minimizando os possíveis desafios.
  • Workshops e cursos de atualização: Workshops e cursos de atualização são essenciais para que os professores se mantenham atualizados com as novas tecnologias e metodologias de ensino.

Ferramentas c0mplementares às calculadoras

  • Software matemático: Além das calculadoras, softwares matemáticos como o GeoGebra e o MATLAB oferecem recursos avançados para a resolução de problemas e visualização de conceitos matemáticos.
  • Aplicativos educacionais: Aplicativos educacionais podem complementar o uso de calculadoras, oferecendo atividades interativas e exercícios que reforçam o aprendizado.

Opiniões de especialistas

  • Depoimentos de Professores: Muitos professores acreditam que as calculadoras são ferramentas valiosas, desde que seu uso seja equilibrado com a prática de cálculos manuais.
  • Análises de Educadores: Educadores apontam que as calculadoras devem ser integradas ao currículo de forma estratégica, para que os alunos desenvolvam tanto habilidades tecnológicas quanto matemáticas.

Experiências de alunos

  • Relatos de Estudantes: Estudantes relatam que as calculadoras ajudam a reduzir a ansiedade em relação a cálculos complexos, permitindo uma maior concentração na resolução de problemas.
  • Impacto no Aprendizado: O uso de calculadoras pode tornar as aulas de matemática mais dinâmicas e interessantes, aumentando o engajamento e a motivação dos alunos.

Futuro das calculadoras no ensino

  • Inovações Tecnológicas: As inovações tecnológicas continuam a transformar as calculadoras, tornando-as mais acessíveis e capazes de realizar funções ainda mais complexas.
  • Tendências Educacionais: As tendências educacionais indicam um futuro em que as calculadoras, juntamente com outras tecnologias, desempenharão um papel cada vez mais importante no ensino de matemática.

Para o professor de Matemática é sempre um desafio trabalhar com a calculadora em sala de aula, ficando sempre uma interrogação: usar ou não usar?

É sabido que a calculadora se faz presente nas diversas atividades profissionais do nosso cotidiano, portanto, é importante que haja uma reflexão sobre a oportunidade de explorar o potencial desse recurso didático. Diversos estudos têm tratado sobre o uso da calculadora nas aulas de Matemática e da sua importância no desenvolvimento do raciocínio lógico dos alunos.

Assim como na Matemática, aprender inglês requer ferramentas adequadas e estratégias eficazes, confira o curso de inglês.

No presente artigo consta a discussão sobre quando e como a calculadora será um instrumento de construção do conhecimento, versando entre os conteúdos matemáticos e suas relações ou apenas uma ferramenta de efetuar cálculos. Acredita-se que o uso da calculadora não impede os estudantes de pensarem matematicamente, pelo contrário, o uso da calculadora poderá provocar uma redução no cálculo escrito e mecanizado, além de promover oportunidades para a simulação e o levantamento de conjecturas, se esse uso estiver atrelado a propostas pedagógicas que valorizem a investigação.

Além disso, acredita-se também que a utilização da calculadora nessa perspectiva pode contribuir para a produção de conhecimento de diversos conteúdos matemáticos, desenvolvendo a capacidade de investigar ideias matemáticas, resolver problemas, formular e testar hipóteses, induzir, deduzir e generalizar, de modo que os alunos busquem coerência em seus cálculos, comuniquem e argumentem suas ideias com clareza.

Confira o artigo completo: Clique Aqui.

(Material produzido pela pesquisadora Suellen Moura de Paiva pela Unesp).

Perguntas frequentes(FAQs):

1- Calculadoras substituem o ensino tradicional?
Não, as calculadoras são ferramentas complementares que devem ser usadas juntamente com métodos tradicionais de ensino para um aprendizado mais completo.

2- Qual a idade ideal para começar a usar calculadoras?
A introdução de calculadoras pode começar a partir do ensino fundamental, conforme os alunos adquirem habilidades matemáticas básicas.

3- As calculadoras científicas são essenciais?
Para alunos do ensino médio e superior, as calculadoras científicas são essenciais para a realização de cálculos avançados e a compreensão de conceitos complexos.

4- Como evitar a dependência das calculadoras?
Equilibrando o uso de calculadoras com a prática de cálculos manuais e incentivando o desenvolvimento de habilidades de resolução de problemas sem a ajuda de dispositivos eletrônicos.

5- O que fazer se um aluno não tem acesso a uma calculadora?
Os professores podem oferecer alternativas, como o uso de software gratuito, compartilhamento de dispositivos na sala de aula ou atividades que não dependem de calculadoras.

Mais artigos

22 de maio de 2024
CASIO na Bett 2024: Transformando a Educação com Tecnologia

A Bett 2024, a maior feira de tecnologia educacional da América Latina, foi um marco importante para a…

Tempo de leitura: 12 min
19 de maio de 2024
Seno, cosseno e tangente e gráficos com a calculadora científica ClassWiz

Os conceitos de seno, cosseno e tangente remontam à antiguidade, com contribuições significativas de matemáticos indianos e árabes….

Tempo de leitura: 16 min
19 de janeiro de 2024
Explorando seno, cosseno e tangente com a calculadora científica

Professor(a), como é para você trabalhar com as relações trigonométricas em sala de aula? E pra você, aluno(a)?…

Tempo de leitura: 18 min

Newsletter

Mantenha-se atualizado com as últimas notícias e obtenha treinamentos e recursos da Divisão Educativa da Casio!

"Porque a BNCC não te diz como fazer. A BNCC diz que é importante que se use [calculadoras]. É importante que se leve para sala de aula as tecnologias, a calculadora ou uma planilha. Mas o como fazer, isso ela [a BNCC] não faz. O como fazer é o que a gente faz na Casio. "

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Ana Cláudia Cossini Martins

Professora Especialista em Currículo (Física)
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

"Ele [o estudante] precisa ter todo um conhecimento matemático para que ele possa inserir os comandos na calculadora. A medida que a gente vai trabalhando com esses comandos matemáticos, ele vai desenvolvendo o seu raciocínio lógico-matemático ."

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Maria Regina Duarte Lima

Professora Especialista em Currículo (Matemática)
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo

"Eu fico ansiosa esperando cada formação, porque eu saio renovada e aprendendo mais a cada formação. Porque nós educadores somos eternos estudantes."

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur. Risus aenean sed vivamus iaculis. Adipiscing nibh sed pellentesque proin ut suspendisse. Sit nunc et eu amet. Enim mi enim nam vitae magna cras nullam amet.

Paula Roberta Pereira da Silva

Professora Componente Física
Secretaria de Educação do Estado de São Paulo